Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A minha vida virada do avesso - crossfitjourney

A minha vida virada do avesso - crossfitjourney

Virar a Página

 

Não tem sido fácil, sexta-feira ele enviou me uma mensagem e tocou no meu ponto fraco, desabei e "vomitei" tudo o que tinha entalado desde a semana passada... uma semana com um sapo preso na garganta...

"abandonaste-me no momento em que mais precisava de ti, nao espera isto de ti" ... agora ele é a vitima? eu deveria ficar a sofrer para que ele pudesse ficar bem? Porque será que ele nao reconhece que o erro foi dele?

Passei a semana toda a pensar que ele nao poderia ser um mosntro, que ele sentia realmente a minha falta e que o facto de eu já nao estar naquela casa abria uma falha na vida daquele homem, cada mensagem que eu recebia aumentava a minha esperanca de ele nao ser um total safado e que aqueles dois anos e meio não tinham passado em branco... que era amor e que ele tinha apenas carencias.. ate receber aquela mensagem...aí sim eu vi que realmente ele é um monstro, que o que ele sente falta é do meu dinheiro, do dinheiro que eu iria dar lhe para ajuda-lo a sobreviver os proximos 2 meses... MONSTRO

Foram 8 meses a fazer de mim parva, eu a ver as coisas a acontecer e ele a negar, a negar na minha cara eu a ver "azul" e ele a dizer que eu nao estava a ver "azul" mas sim "amarelo", fazia me acreditar que o que eu via nao existia, que tudo era uma miragem... Dizia que me amava, que queria casar comigo, ter filhos... Todos os dias de manhã me enviava uma mesagem a dizer o mesmo e com bonequinhos a ilustrar o que seria o resto das nossas vidas... Dizia aos amigos que eu era a mulher da vida dele.. e por trás engatava outras... Sempre lhe disse "P. se voltas a mandar mensagens a alguem eu juro que me vou embora, eu nao vou suportar"... pedi lhe que saisse daquele trabalho antes do verão pois sabia que iria passar pelo mesmo de novo, estava disposta a sustenta lo se fosse preciso para não ter de ser "traida" mais nenhuma vez, quando iamos dormir pedia lhe que desligasse o telemovel e o guardasse debaixo da almofada para que eu nao fosse ver e pudesse dormir em paz... ficava varias vezes sem o ver para não ter de descobrir alguma coisa e deixei de andar no carro dele para não encontrar vestigios de outras... eu sabia que nao iria suportar outra "traição"... podem me dizer que trocar mensagens nao é trair mas para mim é, uma pessoa quando está com outra so se mete com uma terceira se nao estiver completa, e ele nunca esteve...

ele nunca acreditou que eu viria mesmo embora se ele voltasse a fazer asneira, acho que as minhas palavras entravam a 100 e saiam a 1000, eu estava garantida, mas mesmo eu sabendo que estava garantida achava que ele me amava á maneira dele, que gostava de me ter ali nem que fosse só pela companhia.. sim só podia ser pela companhia, pouco falávamos, eu chegava a casa, jantavamos, viamos televisao e iamos dormir.. poucas palavras trocavamos.. para o fim dormiamos de conchinha mas a meio da noite sentia-o a afastar me com a maior violencia que podia sentir parecia que me queria fora dali.. e mesmo a dormir doía e doía tanto que eu tentava nem abrir os olhos para nao ver o que estava a minha frente.. fazia de conta que era um sonho e não verbalizava, nunca verbalizei... 

Como podia eu pensar que tomando um atitude ele iria sentir a minha falta? ele estava farto de mim, ele ja nao tinha paciencia para mim, já nao me queria do lado dele.... foi um alivio o que fiz e se continua a enviar me mensagens é por necessidade...

É dificil para mim ver fotos com ele, lembrar me de coisas que faziamos, passar por sitios onde passavamos juntos ou lugares que vao dar a casa dele ou ate mesmo ao trabalho... eu quis controla lo, eu quis acabar  a minha relaçao varias vezes, mas nunca o fiz, passei noites e noites acordada a pensar no que devia fazer e a resposta era sempre a mesma "eu nao sei viver sem ele", o P. era o ar que eu respirava e fazia o prometer "promete que nunca me vais deixar" e ele prometia e aquelas palavras davam me mais ar para viver... e eu ia me sustentando assim.. com palavras... 

A verdade e que ja comeco a fraquejar, a força comeca a ir embora e a dar lugar a saudade. Sinto me sem apoio em casa, a remar contra a maré sozinha, as vezes dou comigo a pensar que mais vale a vida que eu levava do que a que tenho agora, não vou ser feliz com ninguem, não tenho ninguem que se preocupe comigo e ja nao tenho ninguem com quem me preocupar... e antes tinha.. tenho saudades da casa, da minha gata, do cheiro, das parvoices dele, de me deitar no sofa agarrada a ele e pedir lhe que esperasse para ir para a cama... Tenho saudades de lhe dar um beijo antes de sair de casa e de ve lo a dormir, tenho saudades de ir as compras com ele e de me rir com ele... 

Mas la no fundo eu sei que nao ha volta a dar, que mesmo que eu volte eu vou estar a escolher ser infeliz, talvez eu nao tenha saudades dele, tenha saudades daquelas memorias... eu ja nao era feliz e sabia, e só o amor nao chega...