Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A minha vida virada do avesso - crossfitjourney

A minha vida virada do avesso - crossfitjourney

Maria Capaz

As relações que mantemos nem sempre são felizes. Vamos deixando que continuem a existir no tempo porque nos acomodamos, porque não temos coragem de dar o salto, porque temos medo de ficar sozinhas. Então, passamos os dias de mal com a vida. Desleixamo-nos. Tornamo-nos nas mulheres que um dia criticámos, dizendo “eu nunca aguentaria uma situação dessas”. Mas, tal como elas, porque somos como elas, aguentamos. Aguentamos dias, meses, anos. Aguentamos tudo em nome do amor. Achamos que é ele que mantém aquela relação. Queremos acreditar nisso, até porque só pode ser amor. Não é pelo sexo. Não é pelo respeito. Não é pelo companheirismo. Não é pelo querer estar junto. Nada disso existe. Só amor.

Depois há um dia em que achamos que chega. Olhamo-nos ao espelho e não nos reconhecemos. Algumas de nós deixam-se engordar. Outras borrifam-se na depilação. Há até quem mude a maneira de vestir ou as suas convicções e ideais. Nesse momento parece-nos não restar nada da mulher que fomos e batemos no fundo. Quando tomamos essa consciência, desenvolvemos a capacidade de nascer de novo. Precisamos quase sempre de ajuda. Precisamos de nos rodear de quem sempre nos quis bem e, às vezes, esquecemos… por causa daquele suposto amor.

Os dias e meses que se seguem são de descoberta. Redescobrimos que somos mulheres bonitas, amáveis, desejáveis. Voltamos a cuidar de nós. Voltamos a pôr-nos em primeiro lugar. Voltamos a ser melhores mães, melhores filhas, melhores irmãs, melhores amigas, melhores funcionárias. Algumas de nós começam imediatamente a desejar um novo amor. Outras esperam pacientemente que as lembranças do antigo amor se desvaneçam, para que se possam entregar por inteiro a uma nova relação. O que acontecerá depois, nenhuma de nós sabe bem. Porém, se nos virmos de novo numa relação, talvez sejamos capazes de pisar o travão mais cedo, em vez de deixarmos o comboio do falso amor seguir, eternamente, sem paragem à vista.

Joana Duarte

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.